Largamos tudo por um sonho – O começo de tudo!

Olá gente querida!

Você já pensou em largar tudo e mudar de vida? Quem nunca pensou em determinado momento em chutar o pau da barraca e fazer algo diferente?

Pois é, nós também! Virar a própria mesa não é fácil, mas é preciso! Vou começar a história em primeira pessoa, pois foi assim que ela teve início.

Em janeiro de 2015 eu estava cansada da minha vida de trabalha-leva filho na escola-trabalha-limpa casa-trabalha-dorme-trabalha-não tira férias-trabalha-falta dinheiro-trabalha! Via também que as crianças estavam exaustas da fórmula escola-bilíngue-inúmeros cursos extras-clube-ficar em casa nos finais de semana por falta de tempo e dinheiro dos pais.

Assistindo a um reality show italiano chamado Pechino Express (Pequim Expresso), um projeto se formou na minha cabeça em poucos minutos: vender tudo, comprar um motorhome, enfiar a família dentro e sair pelo mundo, trabalhando como nômades digitais, os filhos estudando pelo caminho e fazendo a escola da vida e ajudando projetos sociais dedicados a crianças de forma virtual. Desse modo, estaríamos juntos o tempo todo, dando mais atenção aos filhos, com uma casa bem menor para cuidar, de uma certa forma já estaríamos de férias, pois a cada dia teríamos um quintal diferente, aprenderíamos muitas coisas, como culturas, línguas, culinárias, religiões, modos de vida, profissões, etc., o que enriqueceria a todos, mas especialmente as crianças.

 

O trabalho na internet já tínhamos. Tirar as crianças da escola e fazê-las estudar em casa era um desafio plausível, porém, as maiores dificuldades se revelariam duas: conseguir o dinheiro para comprar o motorhome e convencer o Gianluca a deixar tudo para trás novamente (já tínhamos mudado da Itália para o Brasil em 2007) e seguir o meu sonho.

Colocamos a casa à venda em maio de 2015. Após 2 meses ela estava quase vendida, mas na véspera de bater o martelo a família que iria comprar desistiu e isso nos frustrou extremamente. A partir daí foram muitas frustrações e a casa acabou não sendo vendida até hoje. Meu marido levou cerca de 1 ano e meio para se convencer de que essa forma de vida nômade poderia ser uma boa. A partir daqui começo a escrever no plural!

Em meados de 2016, não tendo vendido a casa, lhe ocorreu que poderíamos vender um terreno na Itália que meu sogro havia nos deixado de herança e estava em parte, alugado para uma empresa. E assim fizemos. Embarcamos para Milão em 29 de novembro de 2016 e em março de 2017 assinamos o contrato com o interessado, que era o próprio inquilino do terreno. Mais um período de frustrações, pois o financiamento que o comprador pediu ao banco italiano, só foi liberado em final de setembro, 2 meses depois que, cansados de esperar, já tínhamos regressado ao Brasil. Gianluca embarcou novamente para a Itália em outubro e retornou em novembro já com o dinheiro para comprar o motorhome na nossa conta, porém, lá na Itália! Foram mais 2 meses de burocracias até ele chegar à nossa conta no Brasil.

Nesse meio tempo, continuamos a buscar um motorhome para comprar e foi aí que fomos até Novo Hamburgo e acampamos lá na feira. Vimos inúmeros motorhomes novos e usados. Mas como a nossa grana só dava para comprar um usado, nos concentramos nas revendas. Encontramos o motorhome que queríamos e o negócio estava praticamente fechado quando o vendedor deu para trás e vendeu para outro. Foi mais um momento de frustração, mas logo em seguida outra porta se abriria. Já havíamos voltado para Piracicaba quando ficamos sabendo que um amigo estava vendendo o seu motorhome e acabamos fechando negócio com ele em 4 de dezembro de 2017, quase 3 anos após eu ter a ideia!

Em janeiro Gianluca tirou a carteira D (esse foi outro perrengue que contarei no próximo artigo) e em 17 de março caímos na estrada!

Nos próximos artigos contaremos a vocês como tem sido a nossa viagem!

Beijos no coração e fiquem com Deus!

Guacira!!

Comments

  1. AUGUSTO CESAR DE ANDRADE

    Parabéns pela coragem e ousadia. Adorei conhecer vocês e com.certeza vamos unir nossos caminhos em busca de qualidade de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *